Propósito de Vida

Você já ouviu falar que todos nós temos uma missão, algo que nascemos para fazer e que devemos executar. Isso é certo e queremos te apresentar a visão do Arcangelismo sobre essa questão.

Segundo o Mestre Kamir Arzbuj, Ishim Representante do Arcanjo Miguel, atuando a partir da quinta esfera ascendente, todos nós fomos criados com uma especialidade em potencial, uma habilidade que apenas cada um poderá exercer com maestria, pois é o seu lugar no universo. Essa é a missão que temos como ser imortal, a nossa Missão Maior.

Fomos criados como Centelha Divina, portadores da Luz da Vida, no entanto, estávamos no estágio de não desenvolvimento de nossas habilidades. Em outras palavras, é como alguém que tem um biotipo propício para os esportes, mas ainda não começou a praticar nenhum.

Se uma pessoa é um atleta em potencial (tem os ossos e a musculatura para tal) mas nunca desenvolve, ela nunca irá usar o que tem de melhor ao seu favor e também para beneficiar ao próximo. Isso é como estar fora da missão.

Entretanto, a cada encarnação temos Missões Menores, que no Arcangelismo chamamos de Propósito de Vida. Mas geralmente compreendemos a missão como “meta a ser atingida” e essa não é a maneira correta de a compreendermos, porque se for assim, não nos sentiremos felizes em cumprí-la, seria uma obrigação e não um prazer.

Eu demorei muito tempo para entender o que realmente significava executar a minha missão e, com o auxílio do Mestre Kamir, consegui compreender e quero dividir essa sabedoria com você. Muito bem…

Você chegou até aqui, lendo esses parágrafos, porque algo despertou o seu interesse para esse assunto. Existe uma parte sua que reconhece nessas humildes palavras uma verdade, algo que fala em nível mais profundo à sua mente e coração. Então vamos começar a compreender esse algo.

Nas próximas linhas vou te dar a chave interpretativa para que você passe a se alinhar com o propósito da sua vida. Então preste muita atenção e acompanhe o meu raciocínio.

Podemos e devemos fazer escolhas na vida e também devemos ter em mente que podemos ser o que quisermos. As escolhas que fizermos amoldarão o nosso destino, e farão com que exerçamos nosso direito do livre-arbítrio. No entanto não podemos negar que no fundo sabemos que temos certas habilidades pré-adquiridas, certos talentos que já nascemos com eles e que quando os colocamos em ação, tudo flui mais fácil.

Então, um lado nosso não é predefinido e outro é. É como você ter um carro para ir onde quiser. Tudo está livre, mas o fato de estar usando um carro é imutável. Você não está usando um avião ou um navio. É um carro, e isso coloca os limites de onde você pode ir.

Sendo assim, a natureza mostra que podemos fazer o que quisermos, desde que dentro dos limites humanos. Isso está claro?

Partindo desse entendimento, obviamente teremos mais sucesso em nossas ações se usarmos as habilidades que já adquirimos, pois nos trará facilidades no cumprimento de nosso propósito de vida.

Ok, mas vamos refletir um pouco mais sobre. Quando pensamos em nosso propósito de vida, costumamos pensar nele como “o destino”, aquela coisa fixa que devemos cumprir.

Mas se o propósito de vida fosse algo fixo, teríamos uma contradição, pois onde estaria nosso livre-arbítrio se tivéssemos que vir apenas para cumprir um papel predefinido?

No entanto, se ele fosse aleatório ou simplesmente não existisse, ficaríamos soltos, gastando tempo e energia em nossas vidas fazendo coisas que poderiam ou não nos levar à evolução consciencial.

Acredito que nessas duas últimas frases eu resumi o dilema no qual a maioria de nós nos encontramos.

Muitas pessoas gostariam de receber uma carta celestial que diria: para cumprir a sua missão faça “tal coisa”. Por exemplo: para cumprir a sua missão case-se, tenha dois filhos e construa um hospital na cidade onde mora. Mas se fosse assim, nesse momento você perderia seu livre-arbítrio. Sua vida ficaria sem sentido, sem propósito pessoal, apesar de ter uma meta clara e objetiva a seguir.

A questão é que nós não somos robôs. Somos humanos! Somos criativos e desejamos participar da criação, como co-Criadores. Isso nos faz felizes: podermos participar da criação e não simplesmente existirmos nela, sem nada construir.

Passei anos aplicando a Arcanjoterapia em pessoas de várias classes sociais, profissões, religiões, condições e, sempre que elas haviam proposto a si mesmas no início da idade adulta a cumprir uma meta fixa, de serem isso ou aquilo na vida, assim que atingiram a meta, perceberam a grande ilusão que entraram: atingir objetivos não traz felicidade. É a busca, o caminho, a jornada que traz felicidade.

Não digo que não devamos ter objetivos na vida. Devemos sim, mas objetivo de vida e propósito de vida são coisas diferentes.

Propósito de Vida na realidade não se trata de destino. Trata-se daquilo que faz você acordar motivado todos os dias, aquilo que te movimenta.

É aquilo que dá sentido à sua existência. Não é o ponto de chegada e sim o ponto de partida.

É usar as suas habilidades para transformar e construir.

O que dá real sentido à vida não é a meta que se atinge, mas sim a jornada que se vive. Atingir a meta sem ter vivenciado coisas que nos dão prazer, não agrega em nada. Volto a dizer, não somos robôs, programados para executar tarefas. Isso é vazio, é sem propósito.

Nosso verdadeiro aprendizado ocorre ao longo do caminho. A meta nos dá foco, mas é a caminhada que nos motiva. Viver com propósito é usar nossas habilidades e realizar coisas importantes a cada passo da jornada.

Só quando realizamos coisas relevantes é que conseguimos evoluir de fato. Viver com Propósito é estar equilibrado, consciente do que faz, transformando coisas cotidianas em experiência profunda de vida.

Quando não temos propósito, fazemos coisas. Mas quando temos propósito, nos tornamos co-Criadores, a vida se enche de alegria e estamos sempre motivados.

Para fazermos coisas significativas, precisamos colocar nossos talentos em ação e deixar que os percalços do caminho nos ensinem novas habilidades, que se tornarão talentos natos nas próximas vidas.

Portanto a chave é: viver com propósito é realizar coisas significativas enquanto caminhamos rumo aos nossos objetivos de vida.

Agora quero passar uma chave interpretativa complementar: Segundo os ensinamentos do Mestre Kamir, o Anjo Guardião de cada um de nós é especialista nos nossos talentos e habilidades. Ele é uma espécie de mestre naquelas habilidades que temos e, quando estamos vivendo com propósito, ele nos apoia por completo. Isso ocorre independentemente da religião que a pessoa professe.

Quando estamos vivendo com plenitude de propósito, exercendo os nossos talentos, passamos a receber uma ajuda extra do nosso Anjo Guardião para que tenhamos “portas abertas”. Costumamos chamar isso de “boa sorte”, quando coisas boas que não estávamos esperando acontecem.

Então, a primeira função do nosso Anjo Guardião é nos proteger de coisas ruins que não precisamos passar. A segunda é apoiar aquele que está brilhando, vivendo com propósito.

Cada Anjo está ligado a um Arcanjo, ou seja, faz parte de uma hierarquia celeste, cujo Arcanjo é seu superior. “Arc” significa principal ou primeiro. Portanto Arcanjo é o Anjo principal ou Primeiro Anjo de uma hierarquia.

Por exemplo, o Anjo Nithael pertence à hierarquia do Arcanjo Raphael. O Anjo Anauel pertence à hierarquia do Arcanjo Miguel e assim por diante. São 72 Anjos e o seu Anjo Guardião faz parte de uma dessas hierarquias.

Dito isso, existe algo incrível que acontece quando alguém passa a viver para além do seu propósito de vida pessoal, expandindo sua atuação para o coletivo, passando a viver um Propósito Maior de Vida, como o de cuidar de instituições que auxiliam a muitas pessoas (grupos, associações, empresas, ONGs, governos, organizações internacionais, etc.). Quando alguém toma essa atitude, automaticamente ele passa a ser amparado pelo Arcanjo respectivo ao seu Anjo Guardião, e isso faz sentido, já que agora ele vai precisar de mais apoio, mais proteção e mais “caminhos abertos” para realizar o que se propôs. Claro que isso depende da idoniedade da pessoa, que deve se manter firme na convicção de realizar o bem ao próximo.

Bom, você já compreendeu que viver sem propósito não faz sentido e que aqueles que conseguem fazê-lo tem vantagens que facilitam a sua vida e a daqueles que cruzarão seu caminho.

Agora vamos compreender como descobrir esse propósito.


Apresentação

O Arcangelismo

Introdução

PARTE 1 -FILOSOFIA DE VIDA

Propósito de Vida

Como descobrir o seu Propósito de Vida

Missão Maior

Religião, Religiosidade e Fé

Valores Éticos do Arcangelismo

PARTE 2 – TERAPÊUTICA… (continua)

PARTE 3 – CIÊNCIA ESOTÉRICA… (continua)